Para o operador

Um coleção de bons conselhos quando trata-se de um dia de trabalho sustentável

Operar máquina florestal é uma tarefa difícil. Aqui você pode aprender sobre os desafios ergonômicos. Eles abrangem praticamente tudo, desde a segurança até problemas de saúde que podem estar relacionados a tarefas e posturas de trabalho na cabine e o ambiente externo.

Problema comuns e soluções

Lesões por choque, aperto, esmagamento e corte.

Lesões caindo ou escorregando ao subir ou descer da máquina..
O mais comum é que estes tipos de lesões ocorrem fora da cabine, durante o trabalho de reparo e manutenção. Coisas para manter em mente: os pontos de manutenção são centralizados e de fácil acesso para minimizar a necessidade de subir na máquina? Use as escadas e plataformas destinadas para os serviços e para subir ou descer da máquina.

Problemas ambientais (internos e externos).

Eczema, alergias, dor de cabeça, fadiga, tontura, inchaço nos pés, etc.
Distúrbios que mostram claramente o quão diverso e vulnerável é o ambiente de trabalho do operador. Causas: forte luz solar durante o verão, a exposição ao pólen e aos gases de escape provenientes do exterior, o manuseio de óleos e combustível, etc. Pés e pernas inchados são causados por longos períodos sentado, que restringem a circulação sanguínea na parte inferior do corpo, o sangue não circula nos pés e pernas. Coisas para manter em mente: o tipo de assento (sem bordas que tranquem a circulação), ajuste do assento, cortinas de sol, filtro de pólen, etc.

Estresse, dieta, etc.

Fadiga, dor de cabeça, indigestão.
O tipo de problema pode depender de muitas coisas: por exemplo, estresse devido à alta demanda de produtividade. Exigência de alta concentração, um operador de harvester deve tomar até 100 decisões a cada minuto. Má alimentação, comida muito pesada. Coisas para ter em mente: os hábitos alimentares e de exercício, a ingestão de calorias em relação ao gasto.

Danos/sintomas relacionados com ruído e vibrações..

A maioria das máquinas florestais modernas estão geralmente abaixo dos valores limites para lesões provocadas por ruído. Mas os operadores são submetidos diariamente a vários sons diferentes mais ou menos fatigantes. Por exemplo, o ruído de baixa frequência do motor e o ruído de alta frequência do sistema hidráulico. Os efeitos podem incluir desde a fadiga física e mental à diminuição do desempenho. As vibrações são também um tipo de som de baixa frequência que produzem efeitos semelhantes. Coisas para manter em mente: use proteção auditiva e aproveite as oportunidades para fazer pausas da exposição ao ruído.

Vibrações de corpo inteiro.

Vibrações de corpo inteiro (VCI) é uma área de problema conhecida no ambiente do operador de máquinas florestais, principalmente com tratores florestais. Exposição a VCI ocorre quando a totalidade do corpo está sujeita a oscilações por meio de vibrações mecânicas da máquina, choques e impactos. As vibrações são sentidas como cansaço e com o tempo podem produzir lesões por esforço, por exemplo, nas costas, pescoço e ombros. Fatores importantes para prevenir e combater os problemas são a capacidade de amortecimento dos assentos do operador e exercícios físicos. Nós, da Komatsu Forest demos um passo adiante através da nossa exclusiva suspensão hidráulica de cabine, Comfort Ride.

Dedos, pulsos e braços.

Quando se trata de riscos para acidentes de trabalho para operadores de máquinas florestais, uma clara tendência agora pode ser vista. O que foi em grande parte uma questão de problemas no ombro, pescoço e costas, em anos passados, mudou agora para problemas com os dedos das mãos, punhos e antebraços, bem como diagnósticos tais como dor crônica no braço e síndrome do túnel do carpo (STC). Estas são causadas pelos movimentos pequenos e repetitivos que os joysticks e alavancas em miniatura de hoje acarretam. Boas medidas para reduzir os riscos de lesões são fazer microintervalos e variar a postura de trabalho. Por exemplo, através do ajustamento frequente da posição dos apoios dos braços.

Claridade/Iluminação.

Claridade que proporciona uma boa visão é importante para os operadores de máquinas florestais. É sabido que a iluminação de intensidade muito baixa e dispersão irregular podem causar fadiga e dores de cabeça, especialmente para os operadores mais velhos, que podem necessitar de iluminação até quatro vezes mais forte. Além disso, existe uma forte ligação entre iluminação e postura de trabalho, onde luz insuficiente pode conduzir a uma postura incorreta, com alta tensão muscular estática. Isso pode resultar em distúrbios e dores nas costas, ombros e pescoço.